Um Conto Monty Python de Dia dos Namorados

Dia dos namorados, que dia mais feliz (ou não).

Independente da comemoração que você vai ter hoje, que – pelo menos – ela seja uma comemoração ao melhor estilo Monty Python.

É por isso que o fã Scott Conner escreveu e mandou esse lindo conto baseado em uma história nada baseada em fatos (quase) não reais.

Curta abaixo o lindo diálogo do casal mais real do mundo:


– Não aguento mais, querido. Você só fala em Monty Python, todo dia assiste um esquete do Flying Circus, nosso papagaio não para de cantar aquela música do filme do Brian, nosso filho se chama João Cleese, nossos vizinhos riem da gente quando você sai na rua vestido de Gumby. Estou cansada de te ver vestido de mulher, fazendo aqueles andares idiotas, dizendo Ni! pra minha mãe, comendo tremoço no jantar…

– Epa, eu não como tremoço no jantar.

– Bem, isso não. Mas um dia desses você estava sonâmbulo e me chamou de Vitória Regina.

– Connie… quer dizer, Beatriz, você sabe muito bem que faço bobagens para te agradar. E além disso você gosta de uma boa piada tanto quanto eu. Sim, você e toda sua família. Menos seu irmão, e o seu primo e seu…

– Tá vendo só…

– Vendo o que?

– Isso!

– Vamos parar com este esquete?

– Vamos. Tenho outro melhor.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *