Saiba Como Ter Uma Aposentadoria Pythonesca

silly-walk-forbesA revista Forbes fez uma matéria falando sobre as boas práticas da aposentadoria.

E citou Monty Python.

Segundo a revista, uma boa aposentadoria não é aposentar-se da vida, mas aproveitá-la.

“Suponha que, como os membros da trupe Monty Python, você optou por não se aposentar. Não estamos falando de papagaios mortos. Estou me referindo a opções que se enquadram na categoria de ‘não-aposentadoria'”.

De acordo com a MGM Advantage, uma empresa especialista em renda de aposentadoria, mais e mais pessoas estão “adotando uma abordagem mais flexível para trabalhar numa idade mais avançada”.

Segundo Andrew Tully, da MGM, as pesquisas mostram que talvez devêssemos aposentar o termo “aposentadoria”.

“Nós esperamos ver muito mais pessoas trabalhando aos 70 anos no futuro, assim como a energética equipe Monty Python”.

DICAS
Então, o que seria uma aposentadoria pythonesca? Principalmente, se divertir mais. Aqui estão algumas ideias:

Aposentadoria em fases. Em vez de sair pela porta e nunca mais voltar ao local de trabalho, você vai eliminando gradualmente as suas horas no escritório, ao longo dos anos.

Aposentadoria Project-Oriented. Esta é uma abordagem mais focada para você informar o seu empregador sobre projetos específicos em que você deseja dividir o tempo de trabalho entre o escritório e a casa. Ou montar o escritório em casa.

Trabalho sem fins lucrativos. Muitos executivos passam para o setor sem fins lucrativos, onde eles podem fazer trabalho comunitário. Eles ainda cumprem a sua necessidade de estar no local de trabalho, mas a um nível muito mais baixo de preocupação e exigências.

E AGORA?
Como você deve tomar essas decisões? Em primeiro lugar, decida se a sua necessidade de trabalhar é financeira ou relacionada ao seu bem-estar. Muitos aposentados lamentam perder o fluxo e a rotina de trabalho. Outros podem não ter poupado o suficiente para a aposentadoria.

“É evidente que as pessoas se preocupam com a possibilidade de se aposentar quando quiser”, finalizou Tully.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *