John Cleese, Considerado o Mais Engraçado da TV

images (4)

Site oficial: www.cleeseblog.com

Twitter: @JohnCleese

John Marwood Cleese nasceu em Weston-super-Mare, Somerset, Inglaterra, em 27 de outubro de 1939.

Filho de uma acrobata e de um vendedor de seguros. O seu pai mudou o nome da família de Cheese (Queijo) para Cleese em 1915, antes de lutar na Primeira Guerra Mundial.

John ficou profundamente grato pela mudança. Ela ajudou a evitar potenciais apelidos, pois era amigo de um menino na escola chamado Barnabus Butter (Manteiga).

Aos 13 anos, ele já tinha ultrapassado a altura de 1,90m, alvo fácil para bullyngs.

Estudou Direito em Cambridge, onde se juntou ao Cambridge University Footlights Revue Cambridge Circus. Foi quando conheceu Graham Chapman e começou a levar a sério a possibilidade de se dedicar à comédia.

Foi numa turnê com o grupo pela Broadway que Cleese conheceu Terry Gilliam e a sua futura mulher, a atriz norteamericana Connie Booth.

"And now for something completly different"

MONTY PYTHON
No programa, representava personagens sérios e autoritários como anunciadores, apresentadores de TV e oficiais do governo.

Os seus personagens mais memoráveis são o homem que reclama do papagaio morto em “The Dead Parrot” e, O MELHOR DE TODOS!, o Ministro do Andar Tolo.

A partir da segunda temporada, fez o papel do anunciador da BBC, que dava início ao programa com a lendária frase “And now for something completly different (E agora para algo completamente diferente)”.

Cleese participa de um show de mágica da dupla Penn & Teller

O seu humor envolvia frequentemente pessoas normais, em ambientes comuns, a comportarem-se forma absurda sem qualquer razão aparente.

Muitos dos seus personagens tinham uma espécie de loucura armazenada, mas mantinham-se inabaláveis enquanto se comportavam de forma incomum.

CANSAÇO
No início da 3ª temporada, Cleese estava ficando farto de lidar com os problemas de alcoolismo de Chapman. Também começou a sentir que os roteiros tinham perdido qualidade e estava começando a se repetir.

Assim, decidiu abandonar o grupo na 4ª temporada e seguir em frente com projetos individuais. No entanto, ele continuou a sua amizade com o grupo e voltou a juntar-se a eles várias vezes.

Em 1996, Cleese recusou a honra britânica de Comandante da Ordem do Império Britânico (CBE).

download

CASAMENTOS
Em 1968, Cleese casou-se com a sua primeira mulher, Connie Booth. Os dois tiveram uma filha, Cynthia em 1971.

Em 1978, Cleese e Booth divorciaram-se, mas dizem que continuam amigos próximos.

Em 1981, casou-se com a atriz Barbara Trentham. A segunda filha de John e primeira do casal, Camilla, nasceu em 1984.

Em 1990, divorciaram-se. Foi nessa época que Cleese se mudou do Reino Unido para a Califórnia.

Camilla levou uma vida regada a muita droga. Leia o emocionante relato de Cleese sobre sua filha.

Em 1992, John casou-se com a sua terceira mulher, a psicóloga Alyce Faye Eichelberger. Em Janeiro de 2008, o casal anunciou a sua separação.

O divórcio tornou-se público quando começaram a se desentender em relação ao dinheiro. No tribunal, Alyce disse não ter dinheiro próprio e, portanto, exigia 900 mil libras anuais (cerca de R$ 3 milhões).

Apesar das complicações, o divórcio ficou resolvido. Mais tarde Cleese disse sobre o divórcio:

“Vai ser muito, muito caro, mais vai valer cada centavo”

Em abril de 2010, revelou ter começado um novo relacionamento com uma mulher 31 anos mais jovem, Jennifer Wade. Eles se casaram na ilha de Mustique, em 2 agosto de 2012.

Em termos políticos, John Cleese anunciou o seu apoio a Barack Obama, a quem doou 2,3 mil dólares para a campanha e ofereceu-se para escrever os seus discursos.

Com Jennifer, ele morou na Califórnia e em Mônaco. Em maio de 2013 o casal voltou finalmente para o bairro Chelsea, em Londres.

Cleese de stencil
Cleese em estêncil

“A coisa mais difícil no mundo é ser engraçado. Eu percebi no início da minha carreira que era muito mais fácil ser inteligente do que ser engraçado e eu sempre tentei ser o mais engraçado possível”.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *