Conhece Julian Doyle, o Cinegrafista do Monty Python?

Julian DoyleO inglês Julian Doyle um cineasta do Monty Python, dirigiu os filmes “Casamento Químico” e “Poção do Amor”, além do clipe da música “Can I Play with Madness”, do Iron Maiden.

Ah, esse clipe tem a participação do python Graham Chapman.

Veja mais em: O último trabalho de Chapman foi um clipe do Iron Maiden

Tá, mas, além da participação de Chapman num clipe de uma banda, o que Julian Doyle tem a ver com Monty Python?

Eu explico. Acontece que esse cineasta editou os filmes O Sentido da VidaA Vida de Brian, além dos filmes Os Bandidos do TempoBrazil – O Filme, dirigidos por Terry Gilliam.

Querem mais? Então lá vai.

No filme Jaberwocky – Um Herói por Acaso, de Terry Gilliam, Julian Doyle atuou como cameraman e como produtor executivo;

JDoyleAinda como cameraman, ele atuou no falso documentário The Rutles – All You Need Is Cash, de Eric Idle;

Dirigiu o documentário para a televisão inglesa The Quest for the Holy Grail Locations, em que Michael Palin e Terry Jones partem em busca das locações do filme;

Nos filmes Brazil – O Filme e Os Bandidos do Tempo, Doyle trabalhou como assistente de direção e foi o responsável pelos efeitos especiais. Também supervisionou os efeitos de Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado.

As Aventuras de Erik, o Viking, de Terry Jones, tem a sua marca como assistente de direção.

Ainda quer mais? Tem mais!

Trabalho na pós-produção do especial Monty Python Ao Vivo no Hollywood Bowl e, por fim, fez uma participação especial em Em Busca do Cálice Sagrado:

julian-doyle-calice-sagrado
Julian Doyle: “Não há nada pra ver aqui!”

Julian Doyle também se aventurou pela literatura, com o livro “A Vida de Brian Jesus”, que compara o filme pythonesco com os eventos bíblicos reais, e chega à conclusão de que este é o filme bíblico mais preciso já feito.

Infelizmente, não existe uma versão em português, e nem previsão de que haja uma.

life-of-jesus

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *