Monty Python e a Cultura do Cancelamento

Com certeza vocês já ouviram falar que “fulano foi cancelado”. Essa é uma prática comum nos dias de hoje quando alguma pessoa tem uma atitude considerada ofensiva.

É a chamada cultura do cancelamento.

Veja Mais Em: Flying Circus: Os 45 Anos da Inquisição Espanhola

O tal cancelamento pode acontecer por vários motivos: homofobia, agressão, oportunismo, racismo e bullying, entre outros motivos.

Lá na gringa, o ator Louis CK e o rapper Kanye West foram cancelados.

Aqui no Brasil, a cantora Anitta e o MC Biel também foram cancelados.

CANCELAMENTO

Ah, o tal do cancelamento não se restringe apenas às pessoas, não. Ontem, o colégio Adventista foi cancelado.

Tá, mas o que isso tem a ver com Monty Python?

É que o jornal The New York Times produziu um esquete pythonesco, que se passa em 1283.

No esquete, aldeões querem cancelar uma mulher que está sendo acusada de ser bruxa.

A cena poderia muito bem ter sido escrita por algum membro do Monty Python.

Segundo o jornal, a ideia é satirizar o absurdo da caça às bruxas nas redes sociais.

Nota da redação: Esse carrasco lembra um certo Michael Palin, não?

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *