Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado

cálice-sagrado-posterLançado em 1975, essa obra-prima do Monty Python foi produzida durante o intervalo entre a terceira e quarta temporadas do Flying Circus.

Em contraste com o primeiro filme do grupo, “E Agora Para Algo Completamente Diferente”, Em Busca do Cálice Sagrado foi composto de material novo, e por isso é muitas vezes considerado o primeiro filme.

Clique aqui para ler o roteiro do filme (em inglês).

FICHA TÉCNICA

Dirigido por Terry Gilliam e Terry Jones

Produzido por Mark Forstater e Michael White

Escrito por Graham Chapman, John Cleese, Eric Idle, Terry Gilliam, Terry Jones e Michael Palin

Narrado por Michael Palin

Estrelando: Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin

Distribuído por EMI Films (Sony Pictures Entertainment)

Duração: 87 minutos (original) / 89 minutos (relançamento)

Idiomas: Inglês, francês e latim

Orçamento: £ 229,575 (cerca de R$ 737 mil)

Bilheteria: £ 80.371.739 (cerca de R$ 258 milhões)

ENREDO

Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado segue a lenda do Rei Arthur (Graham Chapman) que, juntamente com seu escudeiro Patsy (Terry Gilliam), recruta os Cavaleiros da Távola Redonda, incluindo Sir Bedevere, o Sábio (Terry Jones), Sir Lancelot, o Bravo (John Cleese), Sir Robin Não-Tão-Bravo-Quanto-Sir-Lancelot (Eric Idle) e Sir Galahad, o Puro (Michael Palin). Além do Apropriadamente Chamado Sir-Que-Não-Aparece-Nesse-Filme (“interpretado” por William Palin, filho de Michael).

01No caminho, Arthur enfrenta o Cavaleiro Negro (Cleese), que, apesar de ter tido todos os seus membros decepados, insiste em lutar. Eles chegam à Camelot, mas Arthur decide não entrar, pois “é um lugar bobo”.

Então, são instruídos por Deus (representado por um desenho do jogador de críquete WG Grace) a buscar o Cálice Sagrado.

Sua primeira parada é um castelo francês, onde são insultados em uma espécie de “Franglais” (francês + inglês. O equivalente ao nosso portunhol).

Cansados dos insultos, os cavaleiros tentam se infiltrar no castelo usando um Coelho de Troia, mas o plano dá errado quando percebem que se esqueceram de se esconder dentro do Coelho.

wg-grace-monty-python
O jogador de críquete WG Grace, em foto de 1895

Arthur decide, então, separar o grupo, para que cada um procure o Cálice Sagrado por si só.

Ao mesmo tempo, um historiador moderno está descrevendo a lenda do Rei Artur para um programa de televisão. De repente, ele é morto por um homem a cavalo, provocando uma investigação policial.

arthur-knight-blackCada um dos cavaleiros encontra vários perigos em sua busca. Arthur e Bedevere tentam satisfazer os estranhos pedidos dos Cavaleiros que Dizem Ni! e Sir Robin foge “bravamente” de uma briga com o Gigante de Três Cabeças.

Sir Lancelot invade uma festa de casamento no Castelo do Pântano, acreditando equivocadamente estar salvando uma bela princesa, mas que, na verdade, é um menino efeminado. Sir Galahad é atraído por um farol em forma de Cálice para o Castelo Anthrax, habitado apenas por mulheres que desejam realizar favores sexuais, mas ele é “resgatado” por Lancelot.

Os cavaleiros se reencontram e viajam até encontrarem Tim, o Mago (Cleese), que lhes aponta a caverna onde a localização do Cálice Sagrado está escrita nas paredes.

tim-monty-python

Para entrar na caverna, o grupo é obrigado a derrotar o Coelho de Caerbannog usando a Santa Granada de Mão de Antioquia. Eles entram na caverna e são atacados pela lendária Besta Negra de Aaaaarrrrrrggghhh, que devora o Irmão Maynard (Idle). Arthur e seus cavaleiros conseguem escapar porque o cartunista que estava fazendo a animação da besta (Gilliam) sofre um ataque cardíaco e morre.

Então o grupo chega até a Ponte da Morte, onde cada cavaleiro é obrigado a responder a três perguntas do Guardião da Ponte (Gilliam) antes de atravessá-la.

Arthur e Bedevere seguem viagem até o Castelo do Cálice Sagrado, mas descobrem que foi ocupado pelos mesmos franceses do outro castelo. Eles começam a xingar Arthur e Bedevere e os expulsam.

Então, Arthur forma um grande exército e se prepara para invadir o castelo. E a coisa mais nonsense e surreal acontece.

Não existem créditos finais nesse filme, apenas alguns minutos de música de órgão.

ELENCO

Graham Chapman: Rei Arthur, a voz de Deus, Guarda com soluço e a cabeça do meio do Cavaleiro de Três Cabeças;

John Cleese: Sir Lancelot, Cavaleiro Negro, Guarda Francês e Tim, o Mago;

Terry Gilliam: Patsy, o velho da cena 24, o Guardião da Ponte, Cavaleiro Verde, Sir Bors (o primeiro a ser morto pelo Coelho Assassino), o animador da Besta e a mão do gorila;

Eric Idle: Sir Robin, o coletor de mortos, o Guarda confuso do Castelo do Pântano, Concorde (escudeiro do Sir Lancelot), Roger, o vendedor de Shrubber e o Irmão Maynard;

Terry Jones: Sir Bedevere, a mãe de Dennis, a cabeça esquerda do Cavaleiro de Três Cabeças, Príncipe Herbert e um Cavaleiro Francês;

Michael Palin: Sir Galahad, Dennis, a cabeça direita do Cavaleiro de Três Cabeças, o Rei do Castelo do Pântano, o monge assistente do Irmão Maynard, o principal Cavaleiro que Diz “Ni”, narrador e um Cavaleiro Francês;

Neil Innes: Menestrel do Sir Robin e o escudeiro esmagado pelo Coelho de Tróia;

Connie Booth: A Bruxa;

Carol Cleveland: Zoot e Dingo;

John Young: O historiador.

01OUTRAS LÍNGUAS

“Los caballeros de la mesa cuadrada” (Agentina e Uruguai)

“Monty Pythons galna värld” (Suécia)

“Monty Python sacré graal” (França)

“Οι Ιππότες της Ελεεινής Τραπέζης (Grécia)

“Монти Пайтън и свещеният граал” (Bulgária)

“Gyalog galopp” (Hungria)

“Los caballeros de la mesa cuadrada y sus locos seguidores” (Espanha)

“Monti Paison ando hôrii gurairu” (Japão)

“Monti Pajton – Sveti gral” (Sérvia)

“Monty Python a svatý grál” (República Tcheca)

“Monty Python i Swiety Graal” (Polônia)

“Monty Python og de skøre riddere” (Dinamarca)

“Monty Python og ridderne av det runde bord” (Noruega)

“Monty Pythonin hullu maailma” (Finlândia)

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *