Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte I

Desde o primeiro episódio da série Flying Circus, o Monty Python satirizou entidades, comportamentos, autoridades e, principalmente, personalidades.

Isso aconteceu muito antes deles mesmos serem personalidades.

Veja Mais Em: Flying Circus: Os Maiores Homens da Arqueologia

No programa apareceram figuras famosas como Gengis Khan, Adolf Hitler, Marcel Marceau, Napoleão, Florence Nightingale, William Gladstone e Petula Clark, entre outros.

É por isso que eu fiz uma seleção de sátiras de personalidades, pra contar sobre as figuras satirizadas pelos Pythons e explicar um pouco sobre tal personalidade.

Fique aqui com a primeira parte dessa maravilhosa lista:

MORTES
Logo no primeiro esquete do primeiro episódio (Whiter Canadá?), John Cleese apresenta um programa chamado It’s Wolfgang Amadeus Mozart.

Ao contrário do que o nome poderia sugerir, esse não é um programa sobre música (tendo em vista que o apresentador é o próprio Mozart, um músico), mas sim sobre mortes famosas.

Mozart
Esse personagem, que viveu entre 1756 e 1791, apresenta um forte sotaque alemão e é o primeiro famoso a ser satirizado na série.

Gengis Khan
Dentro do programa de mortes famosas apresentado por Mozart, temos a imponente figura de Gengis Khan, rei dos mongóis, que viveu entre 1162 e 1227.

No programa, o guerreiro (também interpretado por Cleese) morre supostamente por um ataque cardíaco.

Na verdade, ele morreu de febre.

Almirante Nelson
Ainda sobre mortes famosas, Horatio Nelson foi um oficial da Marinha Real Britânica, que viveu entre 1758 e 1805.

Sua morte, no programa, se dá ao cair da janela de um prédio.

Na verdade, ele morreu durante a Batalha de Trafalgar, contra as tropas de Napoleão.

Uma curiosidade interessante é que, quando ele cai da janela, ouvimos ele gritar “Kiss me Hardyyyy!”

Essa frase realmente é atribuída a ele. De acordo com os relatos da época, suas últimas palavras foram dirigidas a Sir Thomas Hardy: “Cuide de minha querida Lady Hamilton, Hardy. Cuide da pobre Lady Hamilton”.

Ele fez uma pausa e depois disse: “Beije-me, Hardy”.

Hardy o fez, na bochecha. Nelson, em seguida, disse: “Agora eu estou satisfeito. Graças a Deus eu fiz o meu dever”.

E morreu.

Rainha Vitória e William Gladstone
Interpretada por Terry Jones, a rainha Vitória da Inglaterra viveu entre 1819 e 1901, e foi durante o seu reinado que a Inglaterra tinha poder sobre praticamente todo o mundo ocidental.

No vídeo da série Flying Circus, ela contracena com William Gladstone (Graham Chapman) uma série de trapalhadas dignas de Chaves/Hermes e Renato/Trapalhões.

Gladstone foi o primeiro-ministro inglês durante o reinado de Vitória.

Julio Cesar
No esquete “The Mouse Problem”, homens em trajes do rato são levados para delegacias de polícia, acusados de frequentarem os chamados “clubes de rato”.

O fato explorado nesse esquete é uma paródia à condenação social dos gays nos anos 1960.

Um desses supostos “homens rato” é o imperador Julio Cesar (Graham Chapman), que viveu entre 100 a.C. e 44 a.C.

Julio Cesar apareceu novamente no episódio 13 (Intermission (or: It’s The Arts)), durante o programa “Imitações Históricas”.

Ali, ele imita Eddie Waring, técnico de rúgbi e comentarista.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

3 thoughts on “Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte I

  • 13 de fevereiro de 2017 em 21:56
    Permalink

    Por Zeus, como pude ser tão tolo! Num único jogo de futebol, são satirizados 11 filósofos gregos, 12 alemães (um entrou de substituição, que foi Marx, no entanto Beckenbauer foi de licença), e mais um juiz chinês e dois bandeirinhas cristãos.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2017 em 21:28
    Permalink

    Michelangelo, Hamlet, Ricardo III, Atila, Lennon, Shakespeare, César, George III, Himmler, Pasolini, Nixon, Richelieu, Beethoven, assim, alguns que saquei da memória. ;P

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2017 em 21:02
    Permalink

    Ah, realmente teve muitas, inúmeras, uma lista gigantesca, um absurdo de grande, incomensurável, uma quantidade enorme e.. stop, this is silly. Sorry.
    Lembro aqui de uma personalidade satirizada no Monty Python Flying Circus que gostei muito da sketch: o Superman. Na verdade o herói mesmo, vocês sabem, era THE BICYCLE REAPIR MAN. Superman era só o disfarce comum de nosso grande herói.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *