Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte IV

A Princesa MargaridaAe, fãs de Monty Python.

Depois de três listas completamente sensacionais, vem aí a quarta parte das personalidades satirizadas pelo maior grupo de humor que o mundo já viu.

Veja Mais Em: Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte I
Veja Mais Em: Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte II
Veja Mais Em: Personalidades Satirizadas no Monty Python – Parte III

Gostaram das outras partes? Então, vou para de lenga-lenga e começar de uma vez:

Alan Whicker
Nascido em 1921 e morto em 2013, Alan foi um jornalista egípcio que apresentava o programa de televisão britânico “Whicker’s World”.

Ele tinha um forte sotaque anasalado e foi satirizado no episódio 1 da terceira temporada da série Monty Python’s Flying Circus.

Na série, todos os Pythons se caracterizaram como ele, em um programa chamado “Whicker’s Island”, sobre uma ilha cheia de Alans Whickers.

Che Guevara
Essa figura emblemática do comunismo mundial fez parte do episódio 12 da segunda temporada.

Interpretado por Graham Chapman (há controvérsias sobre isso, já que não parece que Chapman seja esse personagem, mas o IMDB diz que sim. Mas não é), ele apareceu no esquete “World Forum”.

Nesse esquete, Eric Idle apresenta quatro competidores, Karl Marx (Terry Jones), Vladimir Lenin, Che e Mao Tsé-Tung. A piada é exatamente essa: pensamos que Idle vai fazer perguntas sobre economia, mas ele só faz perguntas triviais sobre futebol.

Michelangelo
Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni viveu entre 1475 e 1564, e foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano.

Interpretado por Terry Jones, ele é mais conhecido como o criador da célebre estátua de Davi.

O artista faz uma breve aparição no episódio 8 da segunda temporada, logo após Shakeapeare afirmar que trocou o nome do personagem de sua peça para Hamlet, e que Michelangelo poderia usar o nome Davi.

Michelangelo responde que já batizou sua estátua como “A Quinta Sinfonia de Michelangelo”.

São João Batista
O batizador de Jesus viveu entre os anos 2 a.C. e 27 d.C. na Judeia.

Ele aparece no esquete “Imitações Famosas”, do episódio 13 da primeira temporada do Flying Circus.

Nesse esquete, um dos Gumbys (Michael Palin) faz um pedido para ver São João Batista imitando o piloto britânico de fórmula 1 Graham Hill.

Informação pertinente: O também piloto Damon Hill é filho de Graham

Então, a cabeça de São João Batista aparece correndo como um carro de fórmula 1.

Isso se deveu porque ele era suspeito de liderar uma revolução contra o império romano, e foi preso a mando do Rei Herodes.

A filha de Herodes, Salomé, coagiu seu pai a entregar-lhe a cabeça de João Batista em uma bandeja de prata.

Princesa Margareth
A irmã mais nova da rainha da Inglaterra, Elizabeth, era a “ovelha negra” da família real, afinal de contas, ela tinha se divorciado de seu marido, o Conde de Snowdon (o divórcio real naquela época, o fim dos anos 1970, era um escândalo).

Além do mais, ela tinha casos românticos com vários homens (o que também era considerado escândalo).

Margareth morreu em Londres, em 2002.

Na série Monty Python’s Flying Circus, ela é retratada da forma mais pythonesca possível: “A princesa Margarida de pantomima” (portanto, não se sabe quem interpretou-a).

Informação pertinente: A rainha Elizabeth e a princesa Margareth eram filhas do rei Jorge VI, o gago, que foi retratado no filme “O Discurso do Rei”

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *