Você Sabia que o Sr. Creosote do Monty Python Realmente Existiu?

O Sr. Creosote do Monty Python realmente existiuUm dos personagens mais marcantes do Monty Python é o Sr. Creosote, do filme O Sentido da Vida.

Mas vocês sabiam que o Sr. Creosote realmente existiu?

Veja Mais Em: Prédio Onde o Sr. Creosote Vomitou Vira Patrimônio Histórico

A história é a seguinte…

COMILÃO

Entre os anos 1772 a 1798, viveu na França um rapaz chamado Tarrare. Porém, ele vivia faminto.

Por causa disso, seus pais não tinham dinheiro suficiente para comprar comida para o rapaz. Então, eles o abandonaram.

Ainda criança, ele viajou na companhia de ladrões e prostitutas, aplicando pequenos golpes para ter dinheiro e comprar comida.

Mas a comida nunca o deixava satisfeito, e ele chegava a comer galinhas inteiras. Ele chegava a comer grandes quantidades de lixo.

Foi então que sua saúde começou a deteriorar-se.

SAÚDE

Quando foi hospitalizado, Tarrare se tornou objeto de experimentos médicos, onde não parou mais de comer.

Num dia, ele comeu uma refeição que serviria 15 pessoas de uma só vez.

Segundo a revista Aventuras na História, ele era magro, “mas sua pele era muito flexível e depois de se alimentar ele ficava inchado”.

“Nada conseguia saciar o desagradável francês, tido como extremamente fedido, especialmente depois que comia”

NAPOLEÃO

Na juventude, Tarrare prestou o serviço militar, entrando no Exército Revolucionário Francês, sob o comando de Napoleão Bonaparte.

Durante as batalhas, ele fazia tarefas em troca da comida de outros soldados, e procurava por restos de comida em montes de esterco.

Foi assim que o general Alexandre de Beauharnais teve uma ideia: que Tarrare usasse suas habilidades como mensageiro secreto. Para isso, ele teria que engolir as mensagens e depois entregá-las nos destinos.

MISSÃO

A primeira missão dele foi entregar uma mensagem secreta para um coronel francês que havia sido capturado pelas tropas prussianas. A informação estava dentro de uma caixa de madeira que Tarrare engoliu.

De volta à França, ele pediu ao doutor Didier para que desse um fim em seu apetite. Nada deu certo, e sua fome só piorou.

MORTE

Depois que um bebê de um ano sumiu do hospital, Tarrare foi acusado de tê-lo comido e, então, foi expulso. Quatro anos depois ele contraiu tuberculose, e acabou morrendo.

Seu cadáver apodreceu, e nenhum cirurgião quis dissecá-lo devido o fedor.

Quando o médico Tessier resolveu abri-lo, descobriu que o esôfago de Tarrare era muito mais largo que o normal, além de ter o estômago coberto de úlceras e cheio de pus.

Até hoje, vários livros de Medicina citam a história de Tarrare, o Sr. Creosote da vida real. E vocês sabiam que o Sr. Creosote realmente existiu?

 

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *