Terry Gilliam Nunca Usou Drogas. Sério!

Uma das grandes dúvidas dentro do cânone pythonesco é:

  • Teria Terry Gilliam usado muitas drogas durante a juventude?

Essa pergunta é feita geralmente pelo fato de que o python americano é dono de uma das cabeças mais psicodélicas do mundo, como podemos perceber pelas suas animações e seus filmes.

Então a galera faz a ligação “animações psicodélicas e filmes nonsenses” = “uso frequente de LSD”.

DROGADITO
Em uma entrevista para o jornal espanhol El Periódico, no qual o repórter o chama de “um tipo de amish perdido em uma orgia”, Terry Gilliam contou um pouco de sua vivência nos anos 1960.

“Sabe o que acontece? Muitas vezes eu fiquei bem, vendo como os outros perdiam suas cabeças. O LSD nunca me fez falta para ter todas essas visões alucinatórias. Já estava vendo todas essas coisas flipantes sem usar droga alguma! Além disso, eu era um pouco mais velho do que o resto dos meus conhecidos, e vivia em Nova York, que não era da costa oeste. Eu não acho que a filosofia dos anos 1960 não tinha nada de profundo, mas talvez tenha sido muito efêmera. E, por último, tem algo a levar em conta que formou parte do meu caráter, e a necessidade perversa de fazer sempre o oposto ao que se espera de mim”

“Por isso, quando vi a direção que me indicava a cultura dos anos 1960, comecei a andar em sentido contrário”.

Portanto, sem drogas para o senhor, Terence Vance Gilliam.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *