Terry Jones Quase Produziu Filme de Bruce Dickinson

Bruce Dickinson, Julian Doyle e Terry Jones

Em setembro de 2001, uma festa de lançamento foi realizada para a inauguração da nova produtora de Terry Jones, a “Messiah Pictures”.

Os três sócios eram Jones, Bill (seu filho) e Ben Timlett.

O primeiro projeto da empresa era um filme sobre a vida do ocultista Aleister Crowler, dirigido por Julian Doyle.

A curiosidade fica por conta de que o roteiro do filme foi escrito por Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden.

Veja Mais Em: Já Ouviu Falar em Julian Doyle?

O filme se chamaria “The Chemical Wedding” (que também é o nome do álbum da carreira-solo de Bruce, mas isso é outra história, que deverá ser contada em outra ocasião).

O filme tinha um orçamento de 3,5 milhões de libras. Na época, dizia-se que o Iron Maiden iria contribuir para a trilha sonora, sem dizer se seriam músicas já gravadas ou material novo e exclusivo.

ENGAVETAMENTO
O próprio Bruce iria fazer uma participação especial. Quem também iria participar do filme era o vocalista da banda The Who, Roger Daltrey e Malcolm McDowell (o Alex DeLarge do filme “Laranja Mecânica”).

Só que o projeto não saiu da gaveta. Nem a produtora saiu da gaveta.

Só que Bill Jones (filho de Terry) e Ben Timlett resolveram fazer esse filme, e criaram a produtora “Bill and Ben Productions”. O filme, então, foi lançado em 2008.

A produtora “Bill and Ben Productions” também fez um documentário sobre a banda punk “The Clash”; a animação “A Autobiografia de um Mentiroso“, que conta a história de Graham Chapman; o documentário “Monty Python – Quase a Verdade” e o filme “Absolutely Anything”.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *