Cálice Sagrado: Leia Aqui as Piadas que não Entraram no Filme

Em junho do ano passado, postei aqui a notícia de que Michael Palin tinha doado mais de 50 cadernos para o Museu Britânico.

Esses cadernos contêm vários curiosidades sobre Monty Python.

Veja Mais Em: Michael Palin doa Cadernos Valiosos do Monty Python

Pois, nesta quarta-feira, o jornal britânico The Times divulgou algumas piadas que seriam usadas no filme Em Busca do Cálice Sagrado, mas que não foram feitas.

PIADAS

Uma dessas piadas mostraria uma livraria com temática Velho Oeste (em uma história medieval).

Outra piada, escrita por Michael Palin e Terry Jones, teria como personagem um tal “cavaleiro cor-de-rosa”. Esse personagem iria guardar uma ponte, e exigiria um beijo do Rei Arthur.

De acordo com o caderno de esboços, a cena seria a seguinte:

O cavaleiro cor-de-rosa impede Rei Arthur de atravessar a ponte.

– Ninguém deve atravessar esta ponte, exceto aquele que me dará um beijo.

Arthur se nega, e os dois começam a lutar. No fim da luta, um cai em cima do outro. Então, um grupo de peregrinos de passagem os vê, e um deles comenta:

– Você poderiam pelo menos entrar em casa para fazer isso. Vocês proprietários de terras são todos iguais.

POLÊMICA

Sobre o cavaleiro cor-de-rosa, Palin disse que essa piada não seria feita hoje:

“Quando estávamos escrevendo o filme, em 1973, havia muito mais homofobia – ou melhor, não exatamente homofobia, mas falta de jeito de lidar com todo o assunto da homossexualidade”

O cavaleiro cor-de-rosa foi abandonado, mas o Cavaleiro Negro entrou em seu lugar, e ganhou milhares de fãs.

Outra das piadas de Em Busca do Cálice Sagrado se passaria no Velho Oeste, e um repórter entra no que ele pensa ser um saloon, mas na verdade é “a última livraria antes de você chegar ao México”. Então, ele pergunta se em outro bar mais à frente terá cerveja.

E o barman responde:

– Não, desde que começaram a se especializar em autores europeus modernos.

FINAL

O final original dizia que os Cavaleiros da Távola Redonda iriam travar uma batalha contra os franceses, além de outro coelho sanguinário (exatamente como o Coelho de Caerbannog).

Mas a cena foi considerada muito cara, e o Rei Arthur, Sir Lancelot e Sir Bedevere acabaram presos pela polícia britânica moderna.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 38 anos na cara. Às vezes grava o podcast Pythoneando, e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor do livro "A História (quase) Definitiva de Monty Python"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *